EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A artista plástica angolana, Marcela Costa, considerou, ser imperiosa a criação de um Museu de Arte em Angola


A artista plástica angolana, Marcela Costa, considerou, ser imperiosa a criação de um Museu de Arte em Angola por formas a catalogar o trajeto dos criadores nacionais. 


Fonte: Angop 


Marcela Costa, que fez esta consideração à Angop, referiu que, por exemplo, está na arte há mais de 30 anos e todo o seu labor devia estar exposto num museu. “Temos os artistas plásticos António Olé, Francisco Van-Dúnem, Jorge Gumbe e outros criadores de referência cujos feitos devem ser conhecidos”, asseverou. O labor destes artistas, apontou, devem estar em algum lado e melhor em Angola, para que as novas gerações os conheçam e saibam realmente o que se fez e faz em torno da arte angolana.A criadora apontou ainda necessidade da preservação das vestes dos grupos carnavalescos antigos, pois estes adereços contam a história do Entrudo angolano. “Muitas destas vestes estão guardadas em casa dos integrantes dos grupos e aí muita coisa já se perdeu”, salientou. Para Marcela Costa, que também é a directora da Galeria Celamar, a cultura, sendo a chave de um povo, deve necessariamente acompanhar esta dinâmica actual.    Tecelã e pintora, Marcela Martins Costa nasceu em Setembro de 1957, em Golungo Alto, na província do Kwanza Norte, em Angola. Depois de concluir o curso de Artes Visuais na Escola Industrial de Luanda, foi convidada por um dos seus professores, o pintor Viteix (Vítor Teixeira), para integrar um projecto de desenvolvimento cultural, que se encontrava a cargo do Conselho Nacional da Cultura. Posteriormente, trabalhou como desenhadora no Departamento Nacional de Museus e Monumentos e, em seguida, fez diversos cursos de tecelagem artística e de serigrafia na Suécia e no Brasil. Em 1995, criou o Atelier de Artes Marcela Costa. Realizou várias exposições, a nível individual e colectivo, em países como Reino Unido, Brasil, França, Zimbabwe, Estados Unidos, Zâmbia, África do Sul, entre outros. Em 2002, inaugurou uma exposição, cujo tema foi "Arte Mulher-Angola 25 anos". 

Artes Plásticas.
Marcela Costa utiliza, nas suas criações, materiais como tecido, areia, estampas aplicadas, texturas naturais, em formas preferencialmente curvas que traduzem uma expressão no feminino e uma proximidade à terra.



segunda-feira, 23 de setembro de 2013


Foto: Samuel Iavelberg 

Fonte: Lau Francisco - assessoria


Samba da Lage anima tarde de domingo no Centro Cultural São Paulo


No dia 29 de setembro de 2013, domingo, das 16h às 20h, no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000), acontece as Pílulas de Cultura Feira Preta, evento mensal de cultura negra sempre com ENTRADA FRANCA. Neste mês de setembro o tema principal será o protagonismo das Mulheres no Samba, um gênero que começou sua história com predominância masculina, mas que, com o decorrer do tempo, reconheceu o poder e a importância da voz feminina na interpretação de grandes clássicos da música. A programação presenteia o público com a tradição do Samba da Lage, um debate sobre o feminino no samba com a Dra. Kelly Adriano de Oliveira, Antropóloga da UNICAMP e a discotecagem do DJ MF. O evento tem os apoios do Instituto Feira Preta e da Rede Kultafro.
A programação
16h – Performance DJ residente MF:

O DJ MF apresentará um repertório especial nas pick ups, homenageando as principais vozes femininas do samba. Carlos Augusto Soares, mais conhecido como DJ MF - três vezes finalista do Hip Hop DJ Brasil - nasceu em São Paulo, na zona oeste, em 1977. Começou a tocar no final dos anos 90, incentivado pelos DJs Ninja e KL Jay (Racionais MCs) com quem mantém, ainda hoje, parcerias constantes.  O soul brasileiro da década de 70, o samba, samba-rock, os clássicos do rap e o que há de mais atual na música em geral são jogados num caldeirão atemporal que levanta qualquer pista. Toca nas principais casas noturnas de hip hop, campeonatos de B-Boy e é residente na Feira Preta há 10 anos. Iniciou sua carreira como DJ internacional, tocando em países como Argentina, Chile, Costa Rica, Uruguai e Venezuela. Prepara para 2013 o lançamento de seu primeiro álbum com produções próprias.

 17h - Roda de Conversa: A mulher no universo do Samba com Dra. Kelly Adriano de Oliveira, Antropóloga -  UNICAMP.

Nessa Roda de Conversa será discutido o protagonismo  das mulheres no universo do Samba, em especial as das Escolas de Samba. A Dra Kelly Adriano, que realizou um profundo estudo sobre o assunto e apresentou tese de mestrado sobre o tema, vai dividir esse conhecimento com o público presente que poderá interagir com perguntas.

19h -  Show com Samba da Lage

O Samba da Laje é uma tradicional roda de samba com feijoada que acontece formalmente há 12 anos numa comunidade na Vila Santa Catarina, em São Paulo, sempre uma vez por mês. Começou com reuniões da família Silva sempre acompanhada da feijoada da Dona Generosa, onde sempre acabava em samba com as mulheres puxando o coro, e acabou tornando-se um evento onde nos dias mais cheios consegue reunir quase mil pessoas. Além da família Silva, pessoas da comunidade também participam da organização do Samba da Laje.

Hoje o Samba da Laje é uma das mais tradicionais rodas de samba de São Paulo, onde consegue atrair grandes músicos e também convidados consagrados não só do mundo do samba, como o Quinteto em Branco e Preto, Simoninha, Mattoli (Clube do Balanço), Rappin Hood, entre outros. Um dos momentos mais aguardados é a participação das Pastoras do Samba da Laje, que alegram o samba com suas vozes, além de ficarem também à frente da organização do Samba.

O Projeto das Pílulas de Cultura

O Instituto Feira Preta e a Rede Kultafro, em parceria com o CCSP, promovem o projeto Pílulas de Cultura – um espaço de fortalecimento e difusão das manifestações relacionadas à cultura afro-brasileira. A Pílula de Cultura Feira Preta surgiu a partir do evento anual “Feira Preta” e apresenta uma proposta criativa e engajada com o seguinte questionamento: “Qual é o espaço da cultura afro-brasileira hoje?” O intuito do projeto é realizar ações artísticas voltadas para a cultura negra contemporânea que normalmente não estão presentes nos grandes circuitos culturais e, ao mesmo tempo, provocar uma reflexão sobre o espaço que a cultura negra tem ocupado na sociedade brasileira. O evento acontece desde maio de 2013 e vai até o mês de novembro de 2013 no Centro Cultural, sempre com um tema diferente a cada mês.

SERVIÇO

Pílulas de Cultura Feira Preta

Dia: 29 de setembro de 2013 Horário: das 16h às 20h

Onde: Centro Cultural São Paulo – Sala Adoniran Barbosa – Rua Vergueiro, 1000 – (11) 3397-4002  - Entrada Franca

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Seminário “Para Além das Vitrines: Arte Africana e Afro-brasileira nos Museus”

Fonte: Belas Artes

Palestras e debates integram a iniciativa que acontece no Auditório da Unidade 2, na Belas Artes

 

Em 25 de setembro, o seminário "Para Além das Vitrines: Arte Africana e Afro-brasileira nos Museus garante uma série de palestras e debates no Auditório da Unidade 2. Como o nome sugere, o objetivo é refletir sobre a inserção dessas duas artes no contexto museológico
 
Apoiado pelo Instituto de Arte Contemporânea e com curadoria da Profa. Ma. Juliana Ribeiro da Silva Bevilacqua, o evento é norteado por aspectos teóricos e metodológicos de diversos estudos e pesquisas. Confira abaixo a programação completa da iniciativa
 
Manhã
9h- Credenciamento
9h15 - Abertura
9h30 - Palestra “De que África estamos falando?” com a Profa. Ma. Elaine Ribeiro
10h10Palestra “Arte Africana: conceitos e perspectivas” com a Profa. Ma. Juliana Ribeiro da Silva Bevilacqua
11h10Coffee Break
11h25Palestra “Arte Africana em Museus Brasileiros: Apresentando e Problematizando Coleções” com a Profa. Dra. Marta Heloísa Leuba Salum
 
12h30 às 14hPausa para o almoço
 
Tarde
14hPalestra “Arte Afro-brasileira: Fronteiras e Significados” com o Prof. Claudinei Roberto da Silva
15h – Coffee Break
15h15 – Debate “Conversa entre Artistas”, mediado pelo Prof. Claudinei Roberto da Silva. Participação de Tiago Gualberto e de Sidney Amaral
16h15 - Debate final
17hEncerramento e entrega dos certificados

Inscrições: contato@iacbrasil.org.br

 

 


III Mostra Internacional de artes da Mulher Negra - MIMUNEGRA - 2013 - Tema: DIVAS


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dia 15 de outubro já é uma data especial, quando comemoramos o Dia do(a) Professor(a), porém, neste ano de 2013 ele ficará ainda mais maravilhoso, por que será realizada a III Mostra Internacional de Arte da Mulher Negra com a temática DIVAS.
Aguarde mais informações e já separe esse dia para compartilhar de momentos inesquecíveis,
Até lá!

domingo, 15 de setembro de 2013

DIA 22 DE SETEMBRO: PRIMAVERA PRETA , PARTICIPE !!!

Fonte: Mulher Negra
A primavera Preta tem como proposta um encontro de todas as pessoas para confraternizar e comemorar a chegada da estação das flores. Um dia cheio de atividades, com cores e cheiros e paladares, ocupando o espaço público de forma prazerosa e responsável.
Nesse ano acrescentamos um compromisso novo, isto é, apoiar um parceiro que precisa urgentemente da nossa solidariedade. Trata-se do Músico de rua, Emerson Pinzindim. O Projeto Primavera Preta que completará dois anos de vida, inclui a responsabilidade social como parte importante desse projeto. Para tanto o Boton especialmente criado em parceria com a Kultafro, servirá de troca com as contribuições voluntaria (R$ 5,00).




sábado, 14 de setembro de 2013

Os Crespos fará intervenção teatral na Praça da República

Da esq. para a dir.: as atrizes Maria Dirce Couto, Nádia Bittencourt, Dirce Thomaz, Darília Lilbé e Dani Rocha vão interagir com o público em praça pública.

Fonte: Lau Francisco


 Intervenção integra projeto de pesquisa “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa”, que resultará em um espetáculo sobre afetividade de mulheres negras




Em plena fase de construção de seu próximo espetáculo cujo tema será “afetividade de mulheres negras”, o coletivo de teatro OS CRESPOS utilizará a Praça da República, região central de São Paulo, como espaço de investigação cênica dos temas da pesquisa do projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa”. Cinco atrizes dos Crespos, conjuntamente com o Coletivo Mães de Maio, farão uma performance teatral na Praça no próximo dia 20 de setembro de 2013, das 17h às 18h.  A performance: mulheres negras ocupam o local para falar sobre sua afetividade, assuntos privados, porém, discutidos em praça pública. Amor, sexo, família, feminilidade, sobrevivência e racismo ganham espaço em horário de pico no coração da cidade. As atrizes Maria Dirce Couto, Nádia Bittencourt, Dirce Thomaz, Darília Lilbé e Dani Rocha interagem com o público discutindo questões do feminino e das liberdades e aprisionadores sociais, por meio do discurso teatral.


O que é o projeto
O projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa” é a mais nova empreitada da Cia. Os Crespos. O objetivo central é investigar através de pesquisa cênica-áudio-visual o impacto da escravidão e as esferas das relações entre afetividade, negritude e gênero no Brasil, para a construção de uma trilogia de espetáculos que abordam as relações intersubjetivas de desejo e construção de identidade. Dentro deste processo, Os Crespos já realizaram palestras públicas com o presidente da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra e com a psicóloga Clélia Prestes, além de entrevistas com mulheres negras de diferentes classes, como ativistas, empreendedoras, donas de casa, mulheres do sistema prisional, sambistas e candomblecistas, entre outras. O resultado das pesquisas e das ações servem como fonte para a criação de um novo espetáculo que tem previsão de estreia para novembro de 2013.

Quem são os Os Crespos
 “Os Crespos” é um coletivo teatral de pesquisa cênica áudio-visual, debates e intervenções públicas, composto por atores negros. Formou-se na Escola de Arte Dramática EAD/ECA/USP e está em atividade desde 2005. Em 2006 estreou com o espetáculo “Anjo Negro”, com direção do alemão Frank Castorf; em 2007 volta ao palco com “Ensaio sobre Carolina”; em 2009 e 2010 apresentou o projeto “A construção da imagem e a imagem construída”; em 2011 estreou “Além do Ponto”, com direção de José Fernando de Azevedo.


Quem é o Coletivo Mães de Maio
Grupo de mulheres que tiveram seus filhos executados desde 2006 e que tem na busca pela justiça seu principal objetivo. O grupo conquistou reconhecimento dentro e fora do Brasil por suas conquistas, como a extinção do termo “resistência seguida de morte” nos BOs das ações policiais de São Paulo, há muito tempo recomendada por entidades da área jurídica, por integrantes do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

SERVIÇO
Projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa”, intervenção teatral  do coletivo Os Crespos com as Mães de Maio
Local: Praça da República, Centro de São Paulo
Dia: 20 de setembro de 2013, das 17h às 18h
                                                                    Atividade Gratuita

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

JACARÉZINHO: AGORA NO TEATRO EM "THE RATOS"

J acarezinho( ex MUlekada) e apresentador depois de fazer participação na novela Sangue Bom (REDE GLOBO) agora estreia nos palcos de SP.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

“A Mais Bela Pérola Negra de São Paulo” é lançado com a presença de Vips

Na foto; Deise Nunes, Carlos Romero e Joyce Ribeiro 
Fonte: Carlos Romero 


Deise Nunes e Joyce Ribeiro compareceram ao evento


Nesta segunda-feira, dia 2 de setembro, foi lançado oficialmente o novo concurso de beleza que promete revolucionar as estruturas dos concursos em São Paulo.
“A Mais Bela Pérola Negra de São Paulo”, foi apresentado à imprensa e convidados durante um café da manhã servido no Buffet Manaus. Com a presença da primeira e única miss Brasil negra, Deise Nunes, e da âncora do SBT, Joyce Ribeiro, o concurso irá escolher uma modelo autodeclarada negra para estampar as páginas dos editoriais de moda.
Com apoio da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial de São Paulo (SEPPIR), o evento consiste na realização de um concurso que irá ultrapassar as linhas da passarela.
De acordo com o idealizador do projeto, Carlos Romero, além de possibilitar à escolhida o ingresso no mundo da moda a mesma terá um leque de oportunidades para o crescimento pessoal e profissional.
“Mesmo antes de A Mais Bela Pérola Negra de São Paulo ser escolhida já tenho uma agenda para ela até março de 2014! A ganhadora irá viajar para Angola, ter aulas de postura num workshop com a Deise Nunes, além de tratamento odontológico gratuito e a disponibilidade de ingressar num curso de graduação superior”, explicou Romero
Para a eterna miss Brasil, hoje empresária e apresentadora de TV, Deise Nunes, esta será uma oportunidade de provocar mudanças no mercado.
“Mesmo na época que fui eleita é claro que havia mulheres negras mais bonitas do que eu, mas eu tive a chance de nos representar e agora dou total apoio para que, mesmo tantos anos depois, tenhamos uma nova miss negra”.
Para a jornalista Joyce Ribeiro a iniciativa em auxiliar as candidatas com o workshop faz a diferença.
“As meninas entre 18 e 22 anos têm dificuldade em tomar decisões, com esta possibilidade que o concurso irá disponibilizar elas terão a oportunidade de ter um norte em suas vidas”.
Nos próximos dias será divulgado o período de inscrições para as interessadas e a grande final que irá acontecer em 10 de novembro contará com um júri composto por celebridades, jornalistas e pessoas ligadas ao mundo da moda.
01- Deise Nunes, Carlos Romero e Joyce Ribeiro
02- Deise Nunes e Joyce Ribeiro
Fotógrafo: Davi Sidney
 Jornalista responsável: Rejane Romano