EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Troféu Raça Negra 2013 : O “Oscar” negro do Brasil



 O Troféu Raça Negra, evento mais esperado pela comunidade negra, a cada ano se inova e em nove anos de existência comprova que existe um antes e um depois do Troféu. A cobiçada estatueta, que é entregue não só aos profissionais negros que se destacaram no ano, mas também à pessoas que contribuíram com iniciativas para tornar a sociedade brasileira mais plural, é um reconhecimento indispensável a práticas e posturas, que antes do advento do Troféu Raça Negra, muitas vezes passavam despercebidas.

Incluir o negro no contexto histórico dando a devida relevância à sua atuação, seja como ator, músico, jornalista e esportista, entre outros, é mostrar a capacidade de uma raça e dar motivação para que as futuras gerações tenham em quem se espelhar. O que explica o fato do Troféu Raça Negra ser um sucesso de público e de mídia. Um evento que representa o anseio de diversas pessoas que têm um objetivo em comum: o congraçamento da raça humana.

A cerimônia de premiação das estatuetas reúne pessoas negras e não negras que acreditam que um país só pode de fato crescer, se reconhecer as suas diferenças, mas acima de tudo trabalhar em busca da equidade entre as raças. Neste ano, quando o evento chega a sua 11ª edição, mais uma vez a ansiedade e a expectativa de todos se acentua. A cerimônia de entrega da décima primeira edição do Troféu Raça Negra, será realizada no dia 17 de novembro, no Memorial da América Latina, em São Paulo.


 Na 11ª edição e homenageia o cantor Emilio Santiago. O diretor musical Altay Veloso contará com “divas da MPB” para cantar os principais sucessos do cantor falecido em março. Mais de uma dezena de personalidades serão agraciadas com o troféu que já é um ícone da identidade afrobrasileira. A cerimônia acontecerá dia 17 de novembro, no Auditório Simon Bolivar, para mais de 1.000 convidados.





Para cantar Emílio grandes nomes femininos da música popular brasileira irão relembrar as canções que marcaram gerações. Margareth Menezes, Paula Lima, Fabiana Cozza, Leni Andrade, Daúde, Flávia Santana e Áurea Martins vão cantar a emoção daquele que deixou saudade.
As divas Margareth Menezes, Paula Lima, Fabiana Cozza não são estreantes nas festividades do Oscar da Comunidade Negra. Paula Lima marcou a edição de 2009 em homenagem ao Rei do Pop, Michael Jackson. Margareth Menezes e Fabiana Cozza brilharam na edição de 2010 que exaltou o ídolo Milton Nascimento.

FLINK Sampa Afroétnica promove Mostra de Teatro com companhias africanas de 15 a 17/11



 Fonte: Vera Moreira

A Faculdade Zumbi dos Palmares e a ONG Afrobras realizarão a Flink Sampa Afroétnica, uma festa do conhecimento, literatura e cultura negra, em comemoração a Semana da Consciência Negra, que terá mais de 50 atrações artísticas gratuitas. O evento acontecerá de 15 a 17 de novembro, no Memorial da América Latina.

 A FLINK Samba vai ter shows em dois palcos e em performances em todo espaço do Memorial da América Latina. Serão apresentações de grupos e cantores nacionais e internacionais com: samba, hip-hop, reggae e MPB. Vai ser uma excelente oportunidade para conferir de perto a Banda Maravilha, conceituado grupo Angolano que toca samba. O rapper Dexter já está confirmado. 15 a 17 de novembro, no Memorial da América Latina.



Com a participação de países africanos de língua portuguesa, a Flink Sampa oferece uma Mostra de Teatro que resgatam a identidade das tradições negras.
 A Mostra Internacional de Teatro da Flink Sampa contará com a presença de cinco países africanos de língua portuguesa: Angola, Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde. Representando o Brasil o grupo Dragão Sete coloca o Rapper Dexter no palco para fazer uma releitura do musical O mágico de OZ, que na versão brasileira recebe o nome de “O Mágico de Ooohz”. O Grupo de Teatro e Musicais Zumbi dos Palmares apresentará o musical “I have a Dream”, baseado na trajetória do ativista dos Direitos Humanos Martin Luther King, em homenagem aos 50 anos do seu discurso na Marcha sobre Washington, em 28 de Agosto de 1963. 15 a 17 de novembro, no Memorial da América Latina.




MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO
DATA
HORÁRIO
LOCAL
DESCRIÇÃO


15/11


16h30


Circo
 100 lugares
O Rei do Obô – São Tomé e Príncipe/África
Direção: Ayres Veríssimo Major

15/11

17h
Circo
100 lugares
A Órfã do Rei – Angola/África
Direção: Flávio F.

16/11

16h

Circo
100 lugares
Mentes e Sonhos – Moçambique/África
Direção: Sérgio Mabombo
16/11
11h
Praça de Alimentação
Cheiro de Feijoada
Direção: Iléa Ferraz
17/11
12h
Circo 100 Lugares
Balur Di Mindjer – Direção 
José Carlos Lopes Correia
 

Flink Sampa Afroétnica
Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra
15 a 17 de novembro das 10h às 20h
Local: Memorial da América Latina - São Paulo
                                       Programação completa: www.flinksampa.com.br

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A POLÊMICA DO CABELO BLACK


Texto: Rejane Romano



"Enquanto o autor da novela global "Amor à Vida", Walcyr Carrasco, é acusado de racismo por causa de um cabelo black power a Faculdade Zumbi dos Palmares faz história, inclusive palestrando e auxiliando grandes empresas a perderem a visão estereotipada quanto aos cabelos afro."

 

Você já parou para pensar que o visual dos negros nas organizações corporativas, até mesmo em nas instituições financeiras mudou?
 Dreadlocks, black e tranças entre outros têm feito literalmente a cabeça dos negros e mostrado a cultura negra mesmo em empresas onde o “padrão” estético não aceitava nada além de cabelo bem baixo ou alisados.
 Há dez anos quando a Faculdade Zumbi dos Palmares deu início ao Programa Especial de Estágios, junto a instituições bancárias não só os alunos foram preparados para adentrar nestes locais, mas também as empresas receberam treinamento para lidar com a diversidade, inclusive estética.
 Hoje, até a publicidade destas empresas aderiram ao visual black e respeitam e incluem modelos com estas características nos comerciais televisivos e impressos.
 A nova cara do Brasil, que se assume, como dados do Censo do IBGE, que dão conta da maioria negra na população brasileira, e não têm vergonha de assumir traços de uma cultura que há muito era vista de forma pejorativa e folclórica.

Dispomos de alunos que trabalham em empresas de renome e mesmo assim têm um visual black.



Antologia ‘Pretextos de Mulheres Negras’ reúne 22 escritoras contemporâneas



Fonte: Lau Francisco

Livro organizado por Elizandra Souza e Carmen Faustino será lançado no próximo dia 31 em São Paulo, SP

Com a urgência poética de milhões de olhos surge, na literatura contemporânea, a antologia Pretextos de Mulheres Negras, que será lançada no próximo dia 31 de outubro em São Paulo (SP).

O volume de quase 140 páginas apresenta em cada uma das 22 autoras – 20 de São Paulo e as convidadas Queen Nzinga Maxweell (Costa Rica) e Tina Mucavele (Moçambique) – subjetividades e auto-representações, seja nos textos, nas imagens, nos perfis biográficos ou na forma como lutam por resistência, memória, pertencimento, ludicidade, corporeidade, musicalidade, religiosidade e outros valores presentes nas africanidades e na diáspora.

“Temos a intenção de religar os nossos vínculos ancestrais e também escrever a melodia dos nossos próprios ritmos”, anuncia a organizadora do livro, Elizandra Souza.

A obra é parte das ações do coletivo Mjiba, que fortalece o protagonismo da mulher negra em diferentes esferas e foi também inspirada no livro “Oro Obínrin – 1º Prêmio Literário e Ensaístico sobre a Condição da Mulher Negra”, publicado em 1998.  O volume é também uma homenagem a escritora Maria Tereza (em memória) e faz também referência às crianças do círculo de convivência das autoras.

Na apresentação, as palavras de Conceição Evaristo “gosto de escrever, na maioria das vezes dói, mas depois do texto escrito é provável apaziguar um pouco a dor, eu digo um pouco... gosto de dizer ainda que a escrita é pra mim o movimento de dança-canto que o meu corpo não executa é  a senha pela qual eu acesso o mundo” resumem o processo. “Este processo foi vivenciado pelas convidadas... somos a continuidade de mulheres negras e precisamos, como toda plantação, replantar e espalhar novas sementes”, pontua Elizandra Souza.


Sobre a obra e o coletivo Mjiba
A antologia teve a organização de Carmen Faustino e Elizandra Souza traz o projeto gráfico de Nina Vieira e ilustrações de capa e homenagem feitas por Renata Felinto. Já as fotografias das autoras foram clicadas por Chaia Dechen.

Durante o lançamento no próximo dia 31, o evento conta também com música de Camila Trindade e discotecagem da DJ Vivian Marques, além de recital com as autoras Carmen Faustino, Chaia Dechen, Debora Marçal, Elidivânia Souza, Elis Regina, Elizandra Souza, Flávia Rosa, Janaina Teodoro, Jenyffer Nascimento, Landy Freitas, Lids Ramos, Lu’z Ribeiro, Luciana Dias, Mel Duarte, Nayla Carvalho, Priscila Preta, Raquel Almeida, Rose Dorea, Tiely Queen e Tula Pilar.


As ações do coletivo Mjiba são inspiradas na palavra, que originária da língua chona, de Zimbabuê, onde as jovens mulheres revolucionárias enfrentaram as tropas britânicas e lutaram pela independência do país. Tocada pela história, a poeta Elizandra Souza publicou, de 2001 a 2005, o fanzine chamado Mjiba e desde 2004 realiza o evento ‘Mjiba em Ação’, quando homenageia a mulher negra próxima a data de 25 de julho.

Neste ano o projeto teve o apoio do programa VAI – Valorização de Iniciativas Culturais.

Serviço
Lançamento ‘Pretextos de Mulheres Negras’

Quando: 31 de outubro das 19h às 22h
Onde: Ação Educativa
Endereço: Rua General Jardim, 660, Vila Buarque, Centro – São Paulo (SP).
Informações: (11) 3151-2333 r. 153 /9825140-24/98651-2546