EM DIA:

BEM VINDA(O) E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ROLA COM A CULTURA , ARTE E O ARTISTA NEGRO AQUI NESSE BLOG"

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

SAMBA E RAP JUNTOS E MISTURADOS NO SESC POMPÉIA SEMANA QUE VEM

Fonte: Assessoria Imprensa SESC
Fotos: Divulgação



 Um encontro de duas gerações do samba paulistano com dois representantes da cena do rap. A Escola Camisa Verde e Branco é formada por sambistas que vieram do Cordão Verde e Branco da antiga Estação Ferroviária da Barra Funda. Neste show, o grupo se une ao Berço do Samba de São Mateus, formado por jovens sambistas da zona leste paulistana que em 2007 lançaram CD pelo Selo SESC.






.A participação dos rappers Emicida e Rapin Hood fará da apresentação uma roda de samba diferente, em que os versos e rimas improvisados numa espécie de duelo se assemelham ao samba estilo partido-alto. Choperia. A Choperia é classificada como casa noturna em função da venda de bebidas alcóolicas. Ingressos à venda pela rede IngressoSESC desde  de 25/01.






SESC Pompéia
Dias 07 e 08/02
Quinta e Sexta-Feira às 21h30

R$ 20,00 (inteira)
R$ 10,00 (usuário matriculado no SESC e seus dependentes, professores e aposentados.
Proibido para menores de 18 anos: venda de bebida alcoólica no local.
















quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

CULTNE APRESENTA : Tributo a Zózimo Bulbul




" Já que eles não podem ser eternos, eternizá-los sim , em nossa mémoria " Preta Jóia®

 Cultne apresenta o Tributo a Zózimo Bulbul a partir do argumento, edição e direção de Filó Filho com quem Zózimo conviveu nos anos 70, durante a realização da peça teatral "Orfeu Negro" no
Renascença Clube, zona norte do Rio de Janeiro.

O ator e cineasta Zózimo Bulbul faleceu aos 75 anos no último dia 24 de janeiro de 2013, deixando um grande legado para comunidade negra. Ele nasceu Jorge da Silva em 1937, mas adotou o nome Zózimo Bulbul e se popularizou com um dos grandes nomes da produção cinematográfica afro-brasileira. Também foi um dos primeiros modelos negros brasileiros nos anos 60, Bulbul foi cineasta, ator, diretor e roteirista e o primeiro protagonista negro a beijar nas telas do cinema nacional.





 Filó e Zózimo Bulbul se conheceram nos início dos anos 70, quando iniciavam-se os primeiros passos para a mudança de imagem do Renascença, que trazia dentro da sociedade a marca do clube negro, famoso pelas suas belas misses e mulatas deslumbrantes. Eram todos jovens preocupados com este estigma, que aumentava a cada ano em detrimento da imagem da mulher negra.




 Em 1972, os jovens assumiram o Departamento Cultural do clube criando uma companhia de teatro, tendo a frente vários amigos, entre eles os saudosos atores Haroldo de Oliveira e Ubirajara Fidalgo.

Com eles vieram outros nomes como Zózimo Bulbul, Cléa Simões, Zezé Motta, Jacira Silva, Paulo Moura e os Produtores do Teatro Opinião Jorge Coutinho e Leonide Bayer, que contribuiriam para a realização da peça Orfeu Negro no Renascença Clube e posteriormente no Teatro Tereza Raquel, no Rio de Janeiro.



Contestador e ferrenho "radical" em suas convicções, Zózimo começou sua trajetória como ator nos anos 60 no Centro Popular de Cinema da UNE. Seus ídolos eram Grande Otelo e Ruth de Souza.

Sua paixão era o cinema, em 50 anos de carreira dirigiu e/ou partcipou em 4 curtas, 5 médias e 1 longa metragem. Em 1969, ele foi o primeiro protagonista negro de uma novela brasileira, Vidas em Conflito da extinta TV Excelsior, foi um dos principais atores do Cinema Novo e é um dos poucos cineastas negros brasileiros, tendo dirigido filmes importantes de reconhecimento internacional como "Abolição", filme que marcou o centenário da Abolição da Escravatura em 1988 e Alma no Olho, um curta-metragem que faz uma metáfora sobre a escravidão, ritmado por uma música de John Coltrane. Participou de mais de 30 filmes entre eles Terra em Transe de Glauber Rocha em 1967 e Filhas do Vento de Joel Zito em 2003. Roterizou e dirigiu Dia de de Alforria que teve a participação de Aniceto do Império Serrano.










Bulbul retomou o olhar de diretor com "Pequena África" (2002), "Samba no Trem" (2005) e "República Tiradentes" (2005). Seu mais recente trabalho é o média-metragem "Zona Carioca do Porto" (2006).



Em 2007, Zózimo realizou um antigo sonho e criou o Centro Carioca de Cinema, que anualmente vem difundindo o cinema negro no Brasil e no mundo.







Lançado o 1º Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana







Por Portal Áfricas
Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
De acordo com a ministra da SEPPIR, Luiza Bairros, o plano resulta do reconhecimento por parte do governo federal, da necessidade de articular as iniciativas e os esforços dos diversos ministérios e órgãos para garantir direitos, efetivar a cidadania e combater o racismo e a discriminação que incidem sobre os povos e comunidades tradicionais de matriz africana no Brasil.
Povos e comunidades tradicionais de matriz africana são grupos populacionais que se organizam a partir dos valores civilizatórios e da cosmovisão trazidas para o país no contexto do sistema escravista, e que possibilita um contínuo civilizatório africano no Brasil, constituindo territórios próprios caracterizados pela vivência comunitária, pelo acolhimento e prestação de serviços à comunidade.


Ações prioritárias
“O plano é um instrumento de planejamento e implementação das ações prioritárias para esse segmento populacional, construído com base no Plano Plurianual, PPA 2012-2015”, explica a secretária de Políticas para Comunidades Tradicionais da SEPPIR, Silvany Euclênio. O documento está estruturado nos eixos “Garantia de Direitos”, “Territorialidade e Cultura” e “Inclusão Social e Desenvolvimento Sustentável”.

  A SEPPIR coordena o grupo de trabalho que envolve mais 10 instituições federais responsáveis pela execução, monitoramento e revisão do plano. Além da SEPPIR, respondem pelo plano os Ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Meio Ambiente, Saúde, Educação, Cultura, Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Fundação Cultural Palmares, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).


 As ministras dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, da Igualdade Racial, Luiza Bairros, e de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, participam do lançamento do 1º Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana







domingo, 20 de janeiro de 2013

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES : VESTIBULAR 2013 - INSCRIÇÕES ABERTAS!!!





 Fonte: Carlos Romero - Assessoria Zumbi

A Faculdade Zumbi dos Palmares conta com as suas últimas vagas em seus cinco cursos e oferece até o dia 31 de janeiro condições especiais em seus valores de matrícula e mensalidades, possibilitando ainda mais a oportunidade de quem pretende iniciar o ano mudando a sua vida com um curso superior. A matrícula está com 50% de desconto e mais 40% na mensalidade de fevereiro nos cursos de Administração, Publicidade e Propaganda e Tecnologia em Transporte Terrestre.
Apesar das mensalidades dos cursos da faculdade serem uma das menores do mercado de ensino da cidade de São Paulo, a instituição está oferecendo estas facilidades para marcar início de projetos e atividades comunitários nos novos espaços do seu prédio, no antigo Clube de Regatas do Tietê, localizado na Avenida Santos Dumont, 843, a cinco minutos do Metrô Armênia. A Faculdade Zumbi dos Palmares é a única instituição de ensino da América Latina mantida pela Ong Afrobrás, que tem como objetivo a inclusão do publico afrobrasileiro no ensino superior e no mercado de trabalho.
Para a aproveitar as condições acima, o candidato contará com duas datas de prova no dia 23de janeiro, às 19hs e outra no dia 30, às 10hs. As inscrições para o vestibular terminam nesta terça feira (22) de janeiro, o valor é de R$ 20,00 (vinte reais) e podem ser realizadas pelo site WWW.zumbidospalmares.edu.br. Esta promoção não é valida para o curso de Direito.
Informações para os candidatos:
O candidato deverá comparecer ao local da prova munido da cédula de identidade ou outra documentação de identificação com foto e comprovante de pagamento da taxa de inscrição, com 45 (quarenta e cinco) minutos de antecedência, sendo vedada a entrada após a hora determinada para o início da prova. Não será permitido o uso de calculadoras ou equipamentos similares e aparelhos de comunicação, tais como “pagers”, telefones celulares, intercomunicadores, agendas eletrônicas, MP3, MP4, entre outros.
Local da Prova:
Avenida Santos Dumont, 843, Ponte Pequena, São Paulo.
Telefone: 3325- 1000 Processo Seletivo

Curso de tecnologia em Transporte Terrestre da Zumbi dos Palmares



Fonte:  Carlos Romero _Assessoria Zumbi


Para aprender a lidar com o trânsito caótico das grandes cidades é fundamental dominar diversas áreas de conhecimento.
O curso de Tecnologia em Transporte Terrestre capacita profissionais para o planejamento e a implantação de medidas para solucionar os problemas do trânsito.
Conheça um pouco mais sobre essa promissora carreira:


sábado, 19 de janeiro de 2013

Livro traça a genealogia do movimento hip hop


Fonte: Karina Toledo
Agência FAPESP

 
A genealogia do movimento hip hop, desde suas influências africanas mais longínquas, passando pela popularização nos Estados Unidos durante os anos 1970 e a chegada ao Brasil na década de 1980, foi traçada pelo historiador Rafael Lopes de Sousa no livro O movimento hip hop: a anti-cordialidade da ‘república dos manos’ e a estética da violência, lançado pela editora AnnaBlume.
Mais do que um levantamento histórico, a obra busca compreender as demandas que os jovens da cultura hip hop trazem à tona, como eles se tornam porta-vozes da experiência negra e repercutem no cotidiano da periferia de São Paulo nos dias de hoje.
O primeiro capítulo investiga as bases históricas de formação da cultura hip hop, que segundo Sousa é composta por quatro elementos principais: a música rap (ritmo e poesia na sigla em inglês), a dança break, o grafite e as figuras do DJ e do MC (disc-jóquei e mestre-de-cerimônias). Foi no bairro nova-iorquino do Bronx, na primeira metade da década de 1970, que os quatro elementos se fundiram.
Por meio de uma pesquisa etnográfica, o historiador apresenta também o percurso do movimento em São Paulo, desde a década de 1970 até a atualidade. Aborda algumas de suas ramificações artísticas como as posses – encontro de grupos de rap – para realizar ações sociais em suas comunidades e promover disputas de dançarinos de break, os b-boys.
O segundo capítulo busca explicar a efervescência cultural que dominou a cena marginal nos Estados Unidos na década de 1970, resultando em uma intensa troca de experiências entre os jovens latinos e afrodescendentes.
“Se buscarmos as principais fontes de informação e de formação do grafite, encontraremos fortes traços de influência latina. Os maiores artistas do gênero na época vinham de países como Porto Rico, Colômbia, Bolívia e Costa Rica. Já os primeiros DJs e MCs de rap que surgem nos Estados Unidos são jamaicanos”, afirmou o historiador.
O break, por sua vez, surge como uma dança de protesto, fazendo alusão aos corpos mutilados dos soldados que voltavam da Guerra do Vietnã, contou Sousa.


Publicado com apoio da FAPESP, o livro é resultado da tese de doutorado de Sousa, defendida em 2009 na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Durante seu mestrado, realizado na Universidade Estadual Paulista (Unesp), o historiador investigou as origens e os impactos do movimento punk. Agora, como professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e da Universidade Santo Amaro, continua a estudar os movimentos juvenis e sua interferência no espaço urbano.
· O movimento hip hop: a anti-cordialidade da "república dos manos" e a estética da violência Autor: Rafael Lopes de Sousa
Lançamento: dezembro de 2012
Preço: R$ 36
Páginas: 268
Mais informações: www.annablume.com.br/comercio/product_info.php?cPath=15&products_id=1819&PHPSESSID=3kij3lgnp8iqtvmjk4hg3ve8b5


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

A BELEZA DE ÉRIKA JANUZA E A COR DO VERÃO


A maquiadora Christina Gall usou nos lábios da atriz um batom laranja da Make Up For Ever e, nas pálpebras, sombra amarela da Kryolan.


Fonte: Ego
Fotos: Marcos Serra Lima


Com fotos tiradas no Museu de Arte Moderna no Rio de Janeiro , Érika Januzaa,   a atriz de Subúrbia posou vestindo roupas com a cor desse verão (Azul Klein ).
 

Erika Januza usa vestido Lez a Lez; colar, pulseira e brincos da 18k; sandália Miezko


 Vestidinhos curtos realçam as superpernas de Erika Januzia




 Erika veste blazer Myth; regata Botswana; pulseira, colar e brincos 18k; anel Metall



 Saia Favela Hype; sapatos Arezzo e bolsa Uncle K

O cabelo de Erika ganhou uma trança lateral que deu mais volume ao penteado, realçando seu rosto



 Quer ver todas as fotos?
Cliquem no link abaixo:

http://ego.globo.com/moda/fotos/2012/12/o-tom-azul-klein-e-uma-das-apostas-para-o-verao-2013-veja-os-looks-usados-por-erika-januza-em-ensaio.html#F106344

domingo, 6 de janeiro de 2013

NAMÍBIA, NÃO !!!

Aldri Anunciação, criador da peça Namíbia,Não! é o melhor autor de 2012 no Portal r7. A escolha ocorreu por voto popular.

Namíbia, Não! fica em cartaz até 17/02, de quinta a domingo no Teatro de Arena Eugênio Kusnet - SP dentro da programação do Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada.

sábado, 5 de janeiro de 2013

VEM AI ! EXALTA AFRO FESTIVAL INTERNACIONAL DE KIZOMBA E ZOUK


Fonte: Inácio Loiola Mosquito / James Silva

3 dias de Workshops e Festas
30 works - 3 baladas

Sao Paulo vai tremer !!!


 Preparem-se. Atraçao | Movimento | Sensualidade

Realizaçao AFROJOY Organizzazione e Promozione Eventi em colaboraçao com ZOUK PHILIP MIHA

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

BIBLIOTECA GRACILIANO RAMOS DIVULGA MAIS DE 30 PUBLICAÇÕES SOBRE IGUALDADE RACIAL PARA DOWNLOAD



A Biblioteca Graciliano Ramos, da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), divulgou ontem (18/12) o Boletim Eletrônico de Bibliografias Especializadas com o tema Igualdade Racial. O informe traz 45 publicações, muitas delas disponíveis para download gratuito. Entre elas está o livro organizado pelo atual Secretário Executivo da SEPPIR, Mário Theodoro: “As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição”, então diretor de cooperação e desenvolvimento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).
A solicitação de materiais não disponíveis em meio eletrônico deverá ser feita por meio do e-mail: biblioteca@enap.gov.br
A reprodução dos documentos bibliográficos do acervo é permitida desde que não acarrete danos aos documentos e que esteja de acordo com a Lei de Direitos Autorais (Lei nº 9.610, de 19/02/98), para fins acadêmicos, uso próprio, sem fins lucrativos e em uma única cópia para: partes de livros e similares; artigos de periódicos.
Faça o download do boletim.

PELE NEGRA: CUIDE DELA NO VERÃO


Fonte: Abril

 Pessoas que possuem pele negra têm uma vantagem em relação às pessoas mais claras na hora de se exporem ao sol: a alta quantidade de melanina, que funciona como um filtro solar natural, aumentando a resistência cutânea para algumas doenças, como câncer da pele. Mas isso não é uma desculpa para ter menos cuidado com proteção solar na praia. A dermatologista Ana Cristina Fasanella, da Clínica Dermatologia Fasanella, recomenda para as negras os mesmos cuidados que se tem com a pele clara, quanto à exposição ao sol. “É preciso estar atento aos horários de pico, usar bonés e utilizar o protetor solar com FPS 20, no mínimo", observa.

No verão, além dos cuidados redobrados por conta da exposição ao sol, é preciso ficar alerta ao aumento de cravos e espinhas, já que a pele negra costuma ser mais oleosa do que as demais. "Quando aparecerem os cravos e as espinhas, evite espremer a região, pois, durante a cicatrização, pode ocorrer um derrame de pigmento, resultando em manchas escuras", orienta da especialista. A médica recomenda, ainda, que a pele seja devidamente limpa, hidratada e protegida à base de protetor solar todos os dias, para evitar a formação de manchas.

No caso de aparecimento de manchas, deve-se observar a coloração. De acordo com Ana Cristina, se a mancha for clara é sinal de desidratação, o que significa que a hidratação dever ser intensificada. Capriche na aplicação de cremes após o banho, evitando água muito quente, banhos demorados com sabonetes esfoliantes e sol em excesso, sem a devida proteção. No caso da mancha ser escura, deve-se usar filtro solar de amplo espectro e FPS maior ou igual a 30, direto nas manchas, e cremes clareadores a base de ácido kójico à noite. “Sem qualquer proteção, a pele perde o brilho, tornando-se opaca e manchando facilmente”, avalia a dermatologista.